Subscribe Now

Trending News

Projeto Lontra: por que visitá-lo com sua família?
Passeios

Projeto Lontra: por que visitá-lo com sua família?

Em sua ida a Florianópolis, que tal fazer um passeio ecológico? Afinal, mesmo sonhando em passar todos os dias na praia, nada melhor do que ter programas variados. O Projeto Lontra oferece várias atividades para você conhecer mais sobre esse mamífero — que está na lista dos animais ameaçados de extinção.

A visita ao Centro de Pesquisa, Conservação e Educação Ambiental é uma boa opção para um passeio tranquilo em família. Ele está localizado ao sul da ilha. Assim, se você estiver hospedado em outra região, programe-se para passar um dia inteiro. Aproveite para almoçar em Ribeirão da Ilha, passear na Ilha do Campeche ou descansar na Praia do Matadeiro.

Continue lendo e entenda por que é tão significativo conhecer esse projeto!

Nascimento do Projeto Lontra

Com os esforços do oceanógrafo Oldemar de Oliveira Carvalho Junior, o projeto surgiu em 1986. Nessa época, ele observou a presença de lontras na Lagoa do Peri e, sabendo do risco de extinção, decidiu protegê-las. Ele conseguiu unir o trabalho científico ao turismo consciente, e a iniciativa deu tão certo que o programa recebe visitantes durante o ano inteiro.

O Projeto Lontra é gerenciado pelo Instituto Ekko Brasil, uma OSCIP — Organização da Sociedade Civil de Interesse Público — cujos objetivos são a pesquisa, a proteção dos ecossistemas e o turismo de conservação. Esse instituto foi criado no ano de 2004 e tem a atenção às lontras como o principal e mais antigo foco de atuação.

Infraestrutura e funcionamento

O centro pode ser visitado diariamente, mas é necessário agendamento. Em função dos hábitos naturalmente crepusculares — ao amanhecer e ao anoitecer — desses mamíferos, o horário de funcionamento é das 8h às 10h e das 16h às 18h. Com essa perspectiva, você terá o restante do dia para os passeios mencionados acima.

Para aproveitar bem o local, é interessante fazer a visita guiada, que dura de 30 a 40 minutos. Nesse período, é possível observar a casa temporária dos animais, que é uma reprodução do habitat natural. Para que assim seja considerado, é importante que haja água limpa e em movimento, além de abrigos que simulem as tocas.

Hábitos e características das lontras

Além dessa casa, são visitados o ambulatório, o centro de pesquisa propriamente dito e a área de recuperação. Os monitores do Projeto Lontra compartilham todos os detalhes interessantes a respeito do comportamento dos animais — como alimentação, hábitos e outros. Eles ressaltam a importância ecológica que as lontras têm na manutenção do ecossistema como o conhecemos.

Além do horário crepuscular, há uma outra característica que podemos destacar aqui. Os membros da Família Mustelidae — como lontras e ariranhas — são considerados semiaquáticos. Ou seja, vivem entre a água e a terra, sendo que preferem se instalar na água doce, mas também frequentam águas marinhas. E as lontras têm uma personalidade bem carismática, que encanta a todos.

Vantagens para o público infantil

Para as crianças, há uma programação bastante especial. E, claro, elas aprendem sobre os simpáticos bichinhos de forma lúdica, por meio de um teatro de bonecos. O ponto alto da visitação para a meninada é quando recebem peixes para alimentar as lontras. Além disso, os vídeos educativos apresentados são para todas as idades.

Turismo de conservação e educação ambiental

A parte da educação ambiental é fundamental não apenas para turistas, curiosos ou estudantes. Pois, faz-se extremamente necessária também para pescadores. Afinal, a utilização de certos métodos de pesca, proibidos inclusive, acabam ferindo e matando as lontras. Essas vão atrás do seu alimento — peixes em especial — e tornam-se vítimas.

Assim, uma das tarefas importantes da equipe é o resgate e os cuidados médico-veterinários. Em um primeiro momento, elas são vacinadas. Em seguida, um chip é inserido em cada animal para que possam ser monitorados. Depois então, inicia-se o processo de reabilitação, que pode ser apreciado pelos visitantes.

Uma situação que está prevista no Projeto Lontra é a reintrodução — em ambiente natural — dos indivíduos órfãos que chegaram na instituição. Quando se trata de filhote, é como se fosse um bebê mesmo. Portanto, é imprescindível acompanhar a curva de crescimento e o peso. Nesse caso, até para que se tenha noção da quantidade de alimento a ser oferecido.

Voluntariado

Para aqueles que desejarem uma experiência mais aprofundada, o Instituto Ekko Brasil oferece a opção do ecovoluntariado. Mediante pagamento de uma taxa, os voluntários têm direito à hospedagem e podem ajudar na alimentação dos animais do centro, no monitoramento das lontras que estão na natureza e na educação ambiental para o público em geral.

O centro também conta com uma loja, onde os visitantes podem adquirir souvenires. Todo o dinheiro ganho com as vendas é revertido para o desenvolvimento do projeto, que tem apoio da Petrobras. Assim, além de poder comprar lembrancinhas para toda a família e para os amigos, você tem a oportunidade de contribuir ainda mais para a preservação dos animais.

Expansão do projeto

O Projeto Lontra tem uma outra base de atuação, situada no estado do Mato Grosso do Sul, mais especificamente em Aquidauana. Nessa cidade, igualmente, há um Centro de Pesquisa, Conservação e Educação Ambiental. E, portanto, também funciona como um refúgio para as lontras que foram resgatadas por estarem debilitadas ou órfãs.

Dessa forma, dois importantíssimos biomas brasileiros estão contemplados nesse projeto — o Pantanal e a Mata Atlântica. Porém, foi em Santa Catarina que nasceu a primeira lontra em cativeiro. E isso se deu no ano de 2017. Foi um acontecimento muito comemorado, pois só acontece quando as condições ideais são atendidas. Basicamente, podemos afirmar que a mãe estava bem alimentada e sentindo-se em segurança.

Um detalhe relevante no compromisso desse projeto é que ele atua para alcançar 3 dos 17 ODS — Objetivo de Desenvolvimento Sustentável — elaborados pela ONU. Esses objetivos são de cunho socioambiental e visam o aprimoramento da qualidade de vida de todos os seres humanos e do meio ambiente. A expectativa é que as metas propostas sejam alcançadas até o ano de 2030.

Quanta informação interessante, não é verdade? Assim como esse, há muitos projetos de qualidade sendo desenvolvidos no Brasil. E poder conhecê-los enquanto curte as férias é, certamente, um programa muito edificante para crianças e adultos. E, no caso do Projeto Lontra, se você não quiser perder nenhum dia de praia, tudo bem, vai dar certo do mesmo jeito.

Gostou de conhecer essa ideia de sucesso que une ciência e turismo de conservação? Acompanhe nossas publicações nas redes sociais e conheça mais iniciativas! Estamos no Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube e Instagram.

 


Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *